terça-feira, 30 de março de 2021

Uma noite em 64



 Norma: show com o Zimbo cancelado na Oásis

Por FERNANDO LICHTI BARROS

Enquanto o país é arremessado em direção a um túnel de horrores, poucos músicos comparecem aos seus locais de trabalho na noite chuvosa de 31 de março de 1964. 

Uma diminuta resistência boêmia bate ponto nas boates e inferninhos de São Paulo. 

Frustra-se quem vai à Oásis, na Rua Sete de Abril: está cancelado o show de Norma Benguell. Duas semanas atrás, abrindo a temporada, ela surgiu lindíssima dentro de um vestido assinado por Dener. Fatal, cantou Samba de uma nota só em italiano, com o anteparo do recém-criado Zimbo Trio. 

Fosse numa outra terça-feira, a música desceria no Djalma´s pelas mãos de Rosinha de Valença e Walter Wanderley, e no Juão Sebastião Bar pela voz bossa nova de Telma, No La Vie em Rose, repousaria em serenata com Nilo Chagas, ex-integrante do Trio de Ouro.

Nem os melhores acordes, nem as mais inspiradas melodias, nada teria garantido o movimento noturno. Em busca de informações, "todo mundo" preferiu ficar em casa, "de ouvido colado no rádio", segundo a nota que a Folha de S. Paulo publica dois dias depois.

 Não faz mal: para o Dia de Tiradentes, no mês que vem, anuncia-se o show de um quarteto na rua Major Sertório, 676. Papudinho, Cido Bianchi, Azeitona e Zinho tocarão trompete, piano, baixo e bateria na abertura do Ela Cravo e Canela. 

Há música no ar. 

------------------------------------------------------------------------

arlos Piper E Papudinho - Um Piston Bossa Nova - 

Video for Papudinho Piston Bossa Nova

5 comentários:

  1. Telma também cantava no Baiúca da Praça Roosevelt. Que fim levou a meiga Telma? Lembro também desse quarteto: Papudinho, Cido Bianchi, Azeitona (que me confessou ser apaixonado pela Alaíde Costa) e Zinho. Suas crônicas me trazem boas recordações e me enchem de saudade, Fernando Barros. Nada a ver com a revolução de 64.

    ResponderExcluir
  2. Sensacional essa história em pleno 31 de março de 2021.

    ResponderExcluir
  3. Caprichou, ein, Fernando...gostei do tour pelos botecos de São Paulo pré-"Redentora".

    ResponderExcluir
  4. Muito legal, como sempre. Quisera nossa memória musical contasse com cem Fernandos.

    ResponderExcluir