sábado, 6 de fevereiro de 2021

Os caminhos de Branco


Por FERNANDO LICHTI BARROS

Caminhos a percorrer para se tornar um grande músico brasileiro:

Na infância, em Pederneiras, interior de São Paulo, assuma o cavaquinho num grupo de choro ao lado do pai e do avô.

Aos 17 anos, passe a tocar trompete com a Night and Day, aquela mesma orquestra que três anos antes você viu ensaiando e o levou a uma quase epifania.

Algum tempo depois, vá morar em Jaú. Dedique-se à marcenaria e à Orquestra Capelozza.

Em seguida, transfira-se para Araçatuba e vá tocar com Os Guanabara.

Troque de cidade mais uma vez. Em São José do Rio Preto, junte-se ao Conjunto Icaraí. Para fazer bailes, viaje numa Kombi com mais oito pessoas, malas, instrumentos e amplificadores.

Apresente-se em lugares distantes – Goiás, Mato Grosso, Paraná, Minas, Rio de Janeiro. Se a Kombi quebrar na ida, mantenha a calma. Após chegar ao clube contratante, vista o paletó vermelho com lapela preta e, até 4 da manhã, toque bolero, mambo, samba, cha-cha-chá, bolero e rock.

No caminho de volta, relaxe se a Kombi ziguezaguear momentaneamente: é legítimo o cochilo do motorista que atravessou a noite soprando o trombone.

Ainda em Rio Preto, toque no Circo Garcia e depois com o conjunto de Renato Perez. Prepare-se para novas emoções.

Durante um baile em Nhandeara, não se preocupe com o baixista Jacy. Generosas doses de whisky irão empurrá-lo escada abaixo, mas ele retornará ao palco para garantir os graves. Em Dourados, perceba uma bala de revólver passar rente ao bumbo da bateria quando o conjunto se atrever a tocar jazz. Recorra a uma polca paraguaia para acalmar a indignação da plateia.

Vá morar em São Paulo. Anime bailes com os Birutas Boys. Em Aparecida do Taboado, ouça um tiro disparado no meio do salão. Não se mexa. Deixe a música no ar enquanto o cadáver é retirado do salão.

Encante-se pelos trios da Bossa Nova e pelo som produzido por músicos do porte de Casé, Bolão, Botina, Dinho, pelas orquestras de Carlos Piper e Dick Farney.

Jamais abandone a admiração por Jackson do Pandeiro. 

Trabalhe em boates como Black & White, La Vie em Rose e Chez Paul. Na jazzística Ichiban, aproveite os intervalos para ouvir o Trio Nordestino, atração de uma casa vizinha. 

Com Os Brasões, faça escala na Padaria Real antes de se dirigir à TV Tupi e vestir camisa estampada, calça saint tropez e botas para atuar no programa Divino, Maravilhoso, com Gilberto Gil e Caetano Veloso

Escreva as partes de metais que darão sustentação a São, São Paulo, a ser defendida por Tom Zé no Festival de Música Popular Brasileira.

Faça bailes com Oliveira & Seus Black Boys, integre-se a Os Impossíveis e a outros grupos para acompanhar Ronnie Von e o Trio Ternura.  

Vá trabalhar na boate O Beco e lá permaneça por oito anos.

Faça arranjos para a orquestra de Luiz Arruda Paes, de novo na Tupi, e para uma apresentação dos Novos Baianos na Record.

Estude trompete na Escola Municipal de Música e contraponto com Hans-Joachim Koellreutter, mas não deixe de ser grato a Aparecido Mateus, o músico de Pederneiras que lhe ensinou os primeiros passos.

De volta à TV Tupi, desponte ao lado de Silvio Brito e Fábio Jr. no programa Hallelluya.

Ensine o que sabe aos jovens músicos.

Nunca se esqueça de cantarolar as cantigas africanas que aprendeu com vovó Josefa.

Organize a Banda Savana, escreva arranjos brasileiríssimos, geniais.

Seu nome completo será José Roberto.

O apelido, Branco.

Maestro Branco.

Vídeo para banda savana Branco



Vídeo para banda savana Branco

http://

Um comentário:

  1. QUE MARAVILHA DE CURRÍCULO. QUE BOM QUE O FERNANDO NOS TRAZ A HISTORIA DO MAESTRO BRANCO, HOMEM SIMPLES E GENIAL, QUE REPRESENTA A TRAJETÓRIA DE TANTOS MÚSICOS MARAVILHOSOS QUE SURGIRAM NO NOSSO PAÍS. PARABÉNS PELA PESQUISA, FERNANDO! PARABÉNS PELA MEMÓRIA! E PELO CUIDADO ESPECIAL DE GRAVAR A NOSSA MÚSICA BRASILEIRA, NÃO PELAS NOTAS MUSICAIS; MAS, PELO SEU TEXTO SEMPRE IMPECÁVEL, GOSTOSO DE SE LER E QUE FALA CONOSCO NA INTIMIDADE DA VIVÊNCIA MUSICAL DE NOSSOS BAILES DA ADOLESCÊNCIA, SHOWS E CONVERSAS MARAVILHOSAS COM MÚSICOS QUE SEMPRE TÊM ALGO LINDO E LEGITIMAMENTE BRASILEIRO PARA NOS ACRESCENTAR! FICO FELIZ PELA LEITURA E FICO FELIZ DE TER CONVIVIDO ALGUNS ANOS COM MAESTRO BRANCO COM SUA BANDA SAVANA! A BENÇÃO!!! BJS

    ResponderExcluir